Autonomia desde o berçário

Educação, Rio Grande do Sul, Saúde

IMA estimula a capacidade criadora e sensível dos alunos

A escola IMA de Porto Alegre promove os direitos fundamentais da criança desde quando nasce, no berçário, até o Ensino Fundamental II, por meio de práticas que potencializam a capacidade criadora e sensível dos alunos. Especialmente quanto ao berçário, a escola fundamenta a prática educativa em uma abordagem que reconhece a importância das primeiras experiências de vida que ocorrem durante o cuidado cotidiano.

“Somos uma equipe multidisciplinar que trabalha apoiada em princípios que valorizam a atividade autônoma da criança e do adolescente, a relação afetiva privilegiada, a consciência de si mesma e do seu entorno, além de um bom estado de saúde física e de bem-estar corporal da criança”, destaca a diretora Grace Freitas. “Os nossos bebês experimentam cores e formas, exploram seus limites em um mundo de descobertas”, completa.

Os espaços foram estudados e pensados para estimular de forma plena a autonomia da criança, favorecendo a aprendizagem através da ludicidade e da livre exploração. Um dos potenciais desenvolvidos é o musical, pois os bebês nascem com o potencial de desenvolver habilidades musicais. “A educação musical contribui para o desenvolvimento dos bebês e das crianças porque a harmonia dos sons estimula a audição e a fala e também o seu desenvolvimento intelectual, sensorial e motor”, explica Grace.

O berçário do IMA é seguro, divertido, instigante e provocativo, sendo o brincar um importante aliado ao processo de aprendizagem e das relações interpessoais. “É brincando que a criança descobre a sua identidade, diferentes papeis, constrói o seu conhecimento e descobre a si mesma e ao outro. Aqui nós interagimos através do olhar, das ações, canções, conversas e muita afetividade. Incentivando sempre os valores e autonomia da criança”, explica Grace.

O IMA acredita na educação como ação transformadora da sociedade. Inclui a rede salesiana para desenvolver práticas educadoras e inclusivas na maior rede de escolas da América: são 110 escolas, 80 mil alunos e cinco mil educadores.

 

Aline Wolff da Fontoura

aline@whcomunicacao.com.br