Novas tecnologias para aumento de absorção das gorduras chegam ao mercado

Brasil, Saúde animal, Tecnologia

A gordura, um dos ingredientes mais caros da ração, é foco da indústria de aditivos

A pecuária moderna cada vez mais se preocupa com a conversão alimentar, o que significa produzir mais carne e leite com menos fornecimento de ração, fator crítico para garantir a rentabilidade da operação. Neste cenário, a gordura é um grande aliado, pois apesar de ser um ingrediente de alto custo, possui uma excelente relação custo/benefício quando a perspectiva é energética.

Apesar da baixa concentração na dieta total de bovinos, ao redor de 5% da dieta total, fornece de 30% a 40% da energia necessária para manutenção e produção de carne e leite.  Empresas do segmento de aditivos estão cada vez mais de olho neste importante ingrediente e desenvolvem tecnologias que permitem melhor aproveitamento.

“Um pequeno incremento na absorção das gorduras pode resultar em um significativo aumento na energia disponível para o animal”, relata Dr. Leandro Greco, Gerente Técnico da empresa Kemin. O profissional ressalta que cada grama de gordura gera duas vezes mais energia que uma grama de açúcar. Segundo ele, ao analisarmos as fezes dos animais, confirmasse que estas possuem cerca de 3 a 5 % de extrato etéreo, ingrediente excretado e que não foi aproveitado pelo animal.

Foi pensando neste desafio que a empresa multinacional americana Kemin, que atua no segmento de aditivos nutricionais, apresenta ao mercado uma solução que permite aos animais maior absorção da gordura. Trata-se do produto Lysoforte™, tecnologia que consegue quebrar as moléculas de gordura em gotas muito pequenas, chamadas de micelas, e que por sua vez são altamente absorvidas pelos animais. A empresa ressalta que o uso da tecnologia promove um aumento de até 20% na absorção da gordura da dieta, como mostram os resultados de teor de gordura nas fezes.

“Animais suplementados com Lysoforte™ apresentam menos gordura nas fezes. Isto significa maior energia disponível para os animais ganharem peso, produzirem bezerros saudáveis e leite” ressalta Renato Mendonça, Gerente da Região Norte da Kemin.

“A tecnologia permite produzir gotículas de gordura até 4 vezes menores, em comparação com a lecitina convencional. As gotículas menores resultam em maior superfície de contato entre a gordura e os sais biliares, e consequentemente maior área de superfície para a atuação das lipases nas moléculas de gordura.” completa Fernando Sousa Gerente da Plataforma de Ruminantes da Kemin.

Para mais informações, visite nosso site: https://www.kemin.com/pt/south-america/products/lysoforte

Informações para a imprensa: 
F2 Assessoria de Imprensa
fabiana@f2.jor.br
(19) 99127.3033